MÁ ESTRELA

No concerto que marca o lançamento do primeiro disco desta Má Estrela, Pedro Alves Sousa, saxofonista e um dos nomes que tem feito os jazzes portugueses deste novo século, faz-se rodear de músicos do lado de fora do jazz tal como o entendemos, cúmplices de várias outras andanças, para nos apresentar uma criação de híbridos e heterogenias sónicas.
Tal como outra das formações alargadas que este ano se apresenta no Rescaldo – o Carro de Fogo de Sei Miguel -, a Má Estrela enceta e conduz um diálogo entre silêncios e entre um entendimento de um género específico, neste caso o dub, que na direção de Pedro Alves Sousa é feito de linhagens várias das eletrónicas contemporâneas: sejam aquelas em que assenta a canção pós-soul dos dias de hoje, seja o footwork e outras músicas da dança, sejam as incursões letárgicas e hipnóticas da música ambiente. O resultado final é uma suspensão beatífica, ou um regresso ao solo das voltagens em busca de asas para levitar.

Pedro Alves Sousa – Saxofone barítono, eletrónicas / Bruno Silva – eletrónicas / Simão Simões – eletrónicas / Rui Dâmaso – baixo eléctrico / João Portalegre – bateria, eletrónicas.


04 MARÇO – CCB – 21H00


© Foto 1 por Travassos foto 2 por Vera Marmelo